Oferta!

O Direito do Paraguai à Soberania

Este livro não é somente uma denúncia: ‘nossas elites governamentais trocam de forma perversa a soberania hidrelétrica nacional por concessões e apoios políticos fornecidos pelas elites dominantes de nossos vizinhos mais poderosos’. É, também, uma história da energia no mundo. Desfaz as frívolas e inconseqüentes especulações sobre as fontes de energias alternativas e vai ao cerne do problema: o padrão de consumo da sociedade atual. O Paraguai é um produtor por excelência de energia, a energia hidrelétrica de Itaipu e de Yacyretá. E só a Bolívia e o Paraguai têm genuínos excedentes energéticos no Mercosul, o que os coloca em posição privilegiada para estabelecer negociações favoráveis aos seus interesses nacionais. O Brasil e a Argentina são importadores de gás natural e de eletricidade. Portanto, não há nenhuma razão para lhes fornecer energia gratuita ou a um valor muito menor ao do mercado. O Paraguai deve reivindicar um preço justo por sua energia hidrelétrica, tal como a Bolívia está alcançando em relação a seu gás. Assim como os povos do Panamá e da Bolívia, em um momento dado de sua história se uniram e se mobilizaram em defesa de seu canal e de seu gás, respectivamente, o povo paraguaio está iniciando um processo de compreensão, articulação e mobilização com o objetivo de recuperar a soberania hidrelétrica, tema central deste trabalho.
Este livro não é somente uma denúncia: ‘nossas elites governamentais trocam de forma perversa a soberania hidrelétrica nacional por concessões e apoios políticos fornecidos pelas elites dominantes de nossos vizinhos mais poderosos’. É, também, uma história da energia no mundo. Desfaz as frívolas e inconseqüentes especulações sobre as fontes de energias alternativas e vai ao cerne do problema: o padrão de consumo da sociedade atual. O Paraguai é um produtor por excelência de energia, a energia hidrelétrica de Itaipu e de Yacyretá. E só a Bolívia e o Paraguai têm genuínos excedentes energéticos no Mercosul, o que os coloca em posição privilegiada para estabelecer negociações favoráveis aos seus interesses nacionais. O Brasil e a Argentina são importadores de gás natural e de eletricidade. Portanto, não há nenhuma razão para lhes fornecer energia gratuita ou a um valor muito menor ao do mercado. O Paraguai deve reivindicar um preço justo por sua energia hidrelétrica, tal como a Bolívia está alcançando em relação a seu gás. Assim como os povos do Panamá e da Bolívia, em um momento dado de sua história se uniram e se mobilizaram em defesa de seu canal e de seu gás, respectivamente, o povo paraguaio está iniciando um processo de compreensão, articulação e mobilização com o objetivo de recuperar a soberania hidrelétrica, tema central deste trabalho.
Peso 0.206 g
Páginas

160

Autor

Gustavo Codas (org.)

Editora

Expressão Popular